O ideal é que a residência seja fresca no verão, quente no inverno, ventilada e iluminada naturalmente. Isso vale tanto por uma ques...



O ideal é que a residência seja fresca no verão, quente no inverno, ventilada e iluminada naturalmente. Isso vale tanto por uma questão de economia quanto de sustentabilidade.

Para um conforto térmico natural, ou seja, sem uso de ar-condicionado ou calefação, é preciso que o projeto arquitetônico seja bem elaborado levando em conta diversas questões.

Se tu já possui uma residência e não está satisfeito com o conforto térmico, ainda assim é possível melhorá-lo com algumas reformas, o que será matéria de uma outra postagem.


Alguns exemplos de influência térmica dos elementos da arquiteturadestacam os seguintes fatores:

·      As características dos materiais das fachadas externas (expostas às condições
climáticas);
·      A cor utilizada nas fachadas externas;
·      A orientação solar;
·      A forma e a altura da edificação;
·      A orientação e o tamanho das vedações transparentes;
·      As características do entorno da edificação;
·      A orientação em relação a ventilação;
·      O desempenho das aberturas, quanto às possibilidades de iluminação natural, bem
como suas devidas proteções à insolação inadequada;
·      A localização estratégica dos condicionadores de ar artificiais.

Cada região tem estratégias específicas para as soluções arquitetônicas a serem adotadas nas edificações.


Conforto Térmico

Questões relevantes para o bom desempenho da construção.

Aspecto pouco considerado em nossas edificações, o condicionamento térmico é um dos itens de grande importância na qualidade delas. Todos conhecemos as queixas relacionadas a ambientes quentes no verão e frios no inverno. Através do estudo da insolação pode-se definir a orientação ótima da construção e seus ambientes, controlando a incidência dos raios solares através de beirais, varandas, brise-soleil ou quebra-sol, toldos, etc.
Para um bom desempenho térmico da edificação, porém, outros fatores devem, igualmente, ser levados em conta. A direção dos ventos dominantes, por exemplo, tem influência na ventilação interna que por sua vez é influenciada pela posição e tipo das janelas.
O isolamento térmico da construção é também um importante fator a ser considerado. Uma vez que o calor é transmitido através das paredes e telhados, o fenômeno pode ser controlado através de tal isolamento. Finalmente, deve-se mencionar que o tipo, cor e textura dos acabamentos externos também têm influência na absorção, irradiação e transmissão de calor.

Insolação

O Sol e os Edifícios.

A localização, a orientação e a forma de uma construção devem ser definidas de maneira a tirar o máximo proveito da radiação solar desde um ponto de vista higiênico, psicológico e de acondicionamento térmico. O excesso ou a falta da radiação do sol é prejudicial à saúde e ao edifício e dependem fundamentalmente da posição de tal edificação relativamente à trajetória solar e das características climáticas da região onde ela está situada.
A forma e a orientação do edifício devem então ser definidas de maneira a propiciar o equilíbrio entre os períodos de baixas temperaturas - inverno - quando se faz necessário o máximo de radiação solar, e os períodos de altas temperaturas - verão - quando tal radiação deve ser evitada. No Brasil, de maneira geral, a orientação Norte é a mais recomendada pois no verão a altura do sol nessa orientação possibilita, com a utilização de recursos arquitetônicos adequados, o sombreamento da fachada, e, no inverno, por ter o sol uma trajetória mais baixa, permite que os raios solares atinjam em maior profundidade, os ambientes internos.

Janelas

Tipos e desempenho.

A janela ou caixilho é, numa edificação, o elemento de separação mais tênue, entre interior e exterior.
Tem uma importância fundamental na qualidade física e psicológica do ambiente edificado, pois, não só deve possibilitar as adequadas iluminação e ventilação naturais e a atenuação dos ruídos externos, como garantir também a visão aprazível do espaço exterior.
Dessa forma, o projeto de uma janela deve ser extremamente cuidadoso para atender o melhor possível, tais requisitos.
Os Códigos de Obras das municipalidades fixam as diretrizes a serem observadas com relação ao assunto, em particular, às proporções entre as áreas da janela e do ambiente correspondente.
É oportuno todavia, lembrar que existem vários tipos de janelas e que ademais das considerações acima, outras se fazem de extrema importância, e devem ser observadas pelos fabricantes de esquadrias, tais como: estanqueidade, isolação térmica e acústica, segurança, etc.

FONTE: http://www.edifique.arq.br/


Bem-estar térmico para inverno e verão estimula o lazer em qualquer clima

Construções regionais dos Alpes suíços e italianos inspiraram projeto de morada em Canela, na Serra Gaúcha


Bem-estar térmico para inverno e verão estimula o lazer em qualquer clima Joana Thomazoni,Splash Studio,Divulgação/Casa&Cia
Panos de vidro e janelões duplos garantem claridade interna nos ambientes até mesmo nos dias nubladosFoto: Joana Thomazoni,Splash Studio,Divulgação / Casa&Cia
Ana Carolina Bolsson
Em uma casa confortável, o desejo de permanecer no seu interior deve ser instantâneo. Partindo dessa ideia de bem-estar, o engenheiro Libório Schlieper desenvolveu o projeto arquitetônico e a arquiteta Zaira Hoffmann Schlieper o de interiores desta residência de 264,29 metros quadrados de área, aninhada na mata nativa de um condomínio em Canela, com destaque para o conforto térmico.
Atuou no paisagismo Toni Backes, com o cuidado de preservar as araucárias nativas em seu projeto de criar um jardim de plantas esculturais. O desnível do terreno em relação à rua se manteve e facilitou a entrada lateral para carros sem interferir na fachada e na vista, um pedido dos donos.
Soluções funcionais com estilo.
Joana Thomazoni , Splash Studio , Divulgação
Serviram de inspiração para definir o estilo arquitetônico as construções regionais de madeira aparente, telhado com caimento e beirais avançados dos Alpes suíços e italianos. Na estrutura resultante dessa vertente aplicada na Serra, as paredes externas são duplas e revestidas de chapas de poliestireno expandido entre o forro e as telhas. Os vidros duplos e as telas anti-insetos nas esquadrias de PVC permitem que o jovem casal de proprietários desfrute da residência de lazer todo o ano. Além da calefação com caldeira à óleo, recursos como janelões e panos de vidro com orientação solar nascente permitem o aquecimento natural na maior parte do dia.
A fachada recebeu acabamento de reboco com aparência grosseira pintado de branco, que contrasta com a madeira aparente dos beirais, do deque e do segundo piso. Na chaminé da lareira, revestimento com pedra da colônia do tipo taipa, e, no telhado, sistema de telhas do tipo shingle aplicado sobre placas de compensado multilaminado naval completam o estilo serrano proposto. O toque de cor está no vermelho cereja dos espelhos do telhado.
Internamente, o coração da casa é um amplo ambiente social de 72 metros quadrados onde convivem simultaneamente sala de jantar, estar, cozinha/gourmeteria e churrasqueira.
– Criamos ambientes integrados para a confraternização com familiares e amigos, mas que permitam momentos de privacidade – finaliza Zaira.

Área íntima
O porcelanato foi a escolha para revestir o piso dos três banheiros das suítes da área íntima em função da durabilidade e praticidade na manutenção. Para um visual clean e suave, utilizou-se recurso de rebaixo de gesso com iluminação embutida sobre a pia e revestimentos de parede em tons como creme e fendi. Calefação com radiadores de parede e encanamento pelo chão que aquecem o piso garantem o conforto nos dias mais frios.

Joana Thomazoni , Splash Studio , Divulgação
Fonte: ZERO HORA





Versatilidade e aplicação rápida: o melhor do piso laminado A grande variedade de padrões que reproduzem com fidelidade a madeira ...


Versatilidade e aplicação rápida: o melhor do piso laminado

A grande variedade de padrões que reproduzem com fidelidade a madeira tornam o produto versátil, aplicável a ambientes residenciais e comerciais

Enviar para um amigo
Versatilidade e aplicação rápida: o melhor do piso laminado Carlos Edler,divulgação/Carlos Edler,divulgação
Para cadeiras com rodinhas, utilize somente rodízios de poliuretanoFoto: Carlos Edler,divulgação / Carlos Edler,divulgação
Ana Carolina Bolsson
Outro revestimento consagrado é o piso laminado. Fabricados com madeira 100% florestada, os modelos atuais não empregam cola na instalação, assentados por encaixe.
Entre as novidades acerca do produto estão os fabricados com texturas acetinadas e microvincos,que lembram os tradicionais assoalhos de madeira. Assim, ajudam a esquentar visualmente o ambiente e a reforçar a decoração – com a vantagem de custarem menos do que os tacos de madeira.
– Em função de custo, manutenção e processo de colocação, foi escolhido o laminado – confirma os benefícios do produto a arquiteta Manoela Py, autora do projeto deste quarto de hóspedes de 12,70 metros quadrados em um apartamento no bairro BelaVista, na Capital.
Do piso partiu a escolha da lâmina freijó do mobiliário bicolor. Na suíte americana – com a pia do banheiro separada do box e do vaso sanitário – prossegue o piso laminado da área de dormitório.
SAIBA MAIS
– Aplicação de uma manta sob o piso ajuda a reduzir os ruídos secos provocados pela circulação no ambiente;
– Laminado costuma ser revestido por uma resina ou um verniz que garantem proteção antibacteriana, resistência a riscos e facilidade na limpeza;
Fonte: Duratex e Floorest Pisos Laminados
CUIDADOS BÁSICOS
– Não se deve utilizar pano molhado para a limpeza do piso de laminado, apenas levemente úmido. Tampouco se pode usar cera, sapólio, lixa ou palha de aço;
– Laminado é resistente à umidade, mas não à prova d’água. Portanto, quando houver queda de líquido, será preciso secar imediatamente;
– Use feltro nos pés de móveis como cadeiras para minimizar o efeito do contato ao deslocar as peças repetidas vezes


Fonte: Estúdio de Revestimentos Luiza Pilau
ZERO HORA

PisoLaminados Durafloor Nature

http://www.persilar.com.br/pisos-laminados-durafloor-nature.php

Carvalho Montreal - Debora Roig - Foto 2

PisoLaminados Durafloor Nature

Clique em um fornecedor para ver suas coleções










Escadas – Construindo uma casa (parte 1) Escadas – Construindo uma casa (parte 2) Escadas pré-fabricadas Hoje em dia ...



Escadas – Construindo uma casa (parte 1)

Escadas – Construindo uma casa (parte 2)

Escadas pré-fabricadas

Hoje em dia quem está construindo uma casa, pode comprar uma escada pré-fabricada: tem de metal, de concreto, que vem pronta e é só colocar. É mais fácil para o pedreiro, além de evitar erros na proporção entre os degraus, pois uma escada com degraus de tamanhos diferentes é perigosa.

Proporção dos degraus

É necessário que exista uma proporção entre a altura e a profundidade de cada degrau. Você tem uma escada com uma certa inclinação: o tamanho mais confortável para a altura do degrau é 18 cm, um pouco menos ou um pouco mais. Para saber a profundidade do degrau, existe uma regra muito comum: a profundidade do piso do degrau mais 2 vezes a altura do degrau tem que dar o número 63, no máximo 64. Ou seja, o piso do degrau é igual a 63 menos 2 vezes a altura do degrau. No caso, 2 vezes a altura (que é 18) é igual a 36, então 63 menos 36 é igual a 27. Logo, a profundidade adequada para o degrau é 27 cm. Com essa regra é possível achar o tamanho dos degraus para as escadas, sempre mantendo a proporção entre o piso do degrau e a altura, que deve ficar por volta de 18 cm.

Comprimento da escada

Pra calcular o comprimento da escada, você deve se lembrar que em toda a escada você tem um piso a menos do que o número de alturas, porque o primeiro piso é o próprio chão, que não conta. Se você tem 15 alturas, você tem 14 pisos. É só multiplicar pela profundidade de cada degrau para achar o tamanho da escada. No caso, 14 pisos multiplicados por 27 cm de profundidade, resultam em uma escada de 378 cm de comprimento.

Altura do degrau

Pra achar a altura de cada degrau, basta dividir o pé direito, que é a altura entre os dois pavimentos da casa, pelo numero de degraus que você quer colocar na escada. Se ficar maior ou menor que 18 cm, é só mudar o número de degraus. No caso do vídeo, dividindo 272 por 14 dá 19,42 cm, é um degrau muito alto. Se dividirmos por 16 degraus dá 17, é pouco. Então nesse caso tem que ser de 15 degraus. A altura do degrau e a profundidade: dividindo o pé direito por 15 temos uma altura aproximada de cada degrau de 18 cm. Para achar a profundidade do piso, fazemos a seguinte conta: 63 – 2x 18(altura) que é igual a 27 cm. Com esse tamanho dá pra ter uma boa largura, pra poder subir e descer com móveis, caixas, etc. Mas é preciso caprichar na largura.

Largura do degrau

Pra passagem de uma pessoa, a largura mínima de um degrau é 75 cm, 120 cm pra duas pessoas. Tem que colocar no mínimo 80 cm de largura, porque depois também os corrimãos reduzem a passagem. Ficará estreito, mas quando a gente pensa numa mudança, por exemplo, com subida de móveis, logo se percebe que uma escada com menos de 1 m de largura é mais difícil subir e descer móveis. Tem que deixar pelo menos 2 m livres em cima dos degraus. E se a escada tiver no patamar, ele tem que ter profundidade no mínimo igual à largura dos degraus.

Tipos de escada

Existem vários tipos de escada: reta, em “U”, em “L”, caracol, circular. Às vezes, quando o espaço é pequeno, a escada em “U” ou em “L” tem degraus até no patamar. As escadas podem ser feitas de diversos tipos de materiais. Mas tem que escolher o tipo de escada de acordo com a planta da casa e o material que você vai usar, porque tem que caber direitinho na planta, deixar ainda o acesso fácil embaixo e em cima.

Tipos de materiais

A escada pode ser feita de madeira, por encomenda, montada no local, ser pré-fabricada deconcreto ou de ferro. Mas aí ela já vem com tamanho definido, e o projeto tem que se adaptar a escada. Ela pode ser feita também de concreto armado na própria obra, mas aí você tem que tomar todos os cuidados, definir bem o desenho que é pra no momento da execução ela sair direitinho. Qualquer que seja o tipo de material ou o tipo de escada tem que ser seguro e confortável.

Degraus pré-moldados

Há muitos tipos de peças pré-moldadas de concreto para escadas, por exemplo, os degraus que são feitos para serem encaixados na parede pra fazer as escadas em balanço. Os degraus pré-moldados podem ser comprados prontos, encomendado ou feito na própria obra. Hoje é muito comum fazer de concreto armado na própria obra porque parece fácil, mas a construção da forma exige muito cuidado. Os degraus têm que ter sempre o mesmo tamanho, e a proporção da altura e da profundidade dos degraus deve ser a mesma.

Revestimento

É bom prever o revestimento, que pode ser de madeiracerâmica ou pedra. No final, comrevestimento, dá pra corrigir pequenas diferenças que apareçam. Por isso a melhor coisa a fazer é uma escada simples, sem curvas. Quer dizer, é simplesmente uma laje inclinada com degraus, que pode ser encostada ou apoiada na parede. Pra fazer uma escada apoiada na parede, tem gente que desenha a escada na parede em tamanho natural. É um jeito de ter certeza que vai ficar tudo no tamanho certo. Depois tem que dar o acabamento na escada mesmo, aproveita e dá o acabamento na parede também.

Escada pré-moldada

Quem tem a escada concretada no local ou pré-moldada, tem a opção do piso com concreto aparente. Pra colocar um revestimento na escada, ele tem que ser resistente ou então fácil de colocar. Existem muitas opções de materiais que podem ser usados nos revestimentos dos degraus: madeira, pedra, mármore, granito, pré-moldados de concreto, etc. Todos eles duram bastante e ajudam ainda a acertar pequenas diferenças nos degraus. Com cerâmica, o degrau tem que ser feito com o tamanho certo. E pra evitar deslizamentos, é aconselhável ser antiderrapante. Além disso, precisa ter um corrimão, pelo menos de um dos lados: pode ser de madeira, de metal, etc.

Escada em dois lances

escada em dois lances é uma escada em “U”, com 4 degraus no patamar pra aproveitar bem o espaço. A primeira coisa é fazer a moldagem das peças, pra isso tem que tomar muito cuidado com o desenho da forma, pra que depois as peças encaixe perfeitamente. Pelas dimensões da planta, pode colocar também 83 cm de largura para os degraus. É uma largura razoável pra escada. Com esses tamanhos já é possível fazer a moldagem das peças. É preciso moldar 2 pares de vigas dentadas, são as vigas laterais onde serão acertados os degraus. Um par de vigas vai formar o primeiro lance do contrapiso até o patamar. O outro par de vigas vai formar o segundo lance, do patamar até a laje do andar superior. E vai precisar moldar também as 4 placas triangulares do patamar, e as 10 lajinhas retangulares que vão formar os degraus.

Alvenaria do abrigo do gás

Você sobe a alvenaria, e quando estiver na altura programada para o patamar, você coloca as vigas laterais da escada. Elas são chumbadas no contrapiso e nas cintas sobre a alvenaria do abrigo de gás. Verifique sempre o nível, inclusive na hora de colocar os degraus, mas deixe para fixar depois. Aí você vai sobrepondo cada um dos degraus triangulares que formam o patamar. Completada a alvenaria, são colocadas as vigas do segundo lance, que são presas no concreto com encaixes metálicos. Depois é só fixar os degraus nas vigas com camadas de Durepoxi, colocar o corrimão e a escada está pronta.

Carpete: aconchegante e customizado Se fosse necessário, produto desta residência poderia cobrir superfície de até 200 metros quadrado...


Carpete: aconchegante e customizado

Se fosse necessário, produto desta residência poderia cobrir superfície de até 200 metros quadrados sem emendas

Enviar para um amigo

Carpete: aconchegante e customizado Genaro Joner/Agencia RBS
Aplicar carpete nas áreas íntimas de uma residência proporciona, além de conforto e aconchego, a vantagem dos isolamentos térmico e acústicoFoto: Genaro Joner / Agencia RBS
Ana Carolina Bolsson
Entre as opções de revestimento disponíveis para o piso da área íntima,a mais aconchegante ainda é o carpete. Materiais diversos e características de desempenho ampliadas se somam a propostas que facilitam a personalização: estampas de linha e criações sob encomenda,tal como um tapete.
Este carpete tem a customização da cor como um dos quesitos de inovação. Dessa forma,o revestimento da circulação do casal desta casa no bairro Três Figueiras recebeu desenhos de arabescos em tom azul, escolhidos pela proprietária, valorizando a área de passagem. O objetivo dela era substituir o carpete preexistente da área íntima do casal e dos filhos por outro. Esse novo revestimento, de fibra sintética e náilon, cobre a base da área de 104 metros quadrados – dormitório, closet e banheiro do casal e dois ambientes de circulação (foto) – em tons cru, off-white e fendi, com 10mm de espessura. 
Outro elemento de inovação reside na forma de aplicação. Diferentemente dos carpetes tradicionais, inteiramente colados no piso, este produto não leva qualquer cola,sendo fixado sob os rodapés.Com isso, o espaço é liberado para a circulação imediatamente após a instalação. A necessidade do uso de manta protetora sob o carpete depende de cada produto.
Nesta reforma, a instalação de mantas de E.V.A. sobre o contrapiso garantiu conforto extra. Segundo a arquiteta e empresária do setor Luiza Pilau, essa colocação seguiu o estilo norte-americano, que em geral prescinde de regularização na base.
SAIBA MAIS
– Feitos com fibras sintéticas antiestáticas e náilon, os carpetes dificultam a proliferação de ácaros e fungos, diferentemente dos tapetes de antigamente, que eram confeccionados com fibras naturais;
– Os carpetes com 100% náilon são mais fáceis de limpar e têm resiliência superior (resistência ao amassamento). A tecnologia dos modelos atuais impede a propagação de fogo no ambiente;
– Hoje os carpetes podem ser personalizados, conferindo exclusividade e múltiplas criações de cores, desenhos e texturas à decoração;
– É preciso atenção extra com cães e gatos que circulem pelas áreas com piso revestido por carpete. Além de dificultar a limpeza dos pelos, o carpete corre o risco de virar um abrigo de pulgas, se não houver manutenção adequada do carpete e atenção redobrada com a higiene dos pets.
Fonte: Estúdio de Revestimentos Luiza Pilau



zERO HORA


carpete e seus mitos

Carpete retém sujeira? Ele causa problemas na saúde? Alguns mitos sobre o carpete que não são verdade.
Há anos no mercado, o carpete ainda tem diversos mitos a seu respeito. Ele causa problemas de saúde, retém sujeira? Vamos entender.
Um dos mais preocupantes é saber se o carpete realmente faz mal a saúde. O site Ame Seu Tapete explica que bactérias e fungos existem apenas onde a umidade e a sujeira agem em conjunto, aliadas aos precários hábitos de higiene e manutenção.
O desenvolvimento das bactérias em carpetes pode ocorrer em qualquer superfície se a manutenção não for feita corretamente. É importante evitar umidade, como em áreas de vidros e janelas, e com pias e torneiras por perto.
Um estudo conduzido pelo instituto Host/Racine Indústrias na Florida comentou os problemas causados por umidade: “a umidade permite que bactérias se desenvolvam liberando milhões de esporos no ar”. A pesquisa afirma que fungos e bactérias não estão ligados a uma superfície particular, como o carpete.
carpete3 300x130 O carpete e seus mitos
Carpete não traz riscos à saúde, mas precisa de higiene em dia.
Já sabemos que o carpete só retém sujeira se o seu proprietário não fizer a higiene correta. Mas e quanto aos problemas de saúde? Carpetes trazem doenças?
carpete retém, de maneira firme, substâncias alergenas, e como resultado, impede que as bacterias fiquem em suspensão no ar.
De acordo com um texto publicado no artigo acadêmico “Carpetes e Alergenos em Suspensão, Uma Literatura Revista”, sujeiras e bactérias retidas no carpete podem ser removidos através de aspiração, renovando as propriedades de filtro do carpete e permitindo que mais material seja removido do ar. O ideal é que ele seja aspirado 1 a 2 vezes por semana.
Para sua família e empresa ficarem com um ambiente limpo e sem riscos à saúde, basta tomar os cuidados necessários e manter a higiene do carpete em ordem.




Como manter um carpete novo

Por GLG Contributor December 14, 2011




Como manter um carpete novo
Como manter um carpete novo

Um carpete novo inspira à conservação de sua aparência, daquele aspecto de novo... e bonito. Mas como manter esse visual? Para quem tem crianças, ou animais de estimação, a resposta pode parecer, no mínimo, complexa. Mas isso pode ser mais fácil do que se imagina. Apele para o bom senso, um pouco de criatividade e de colaboração da família, faça manutenção regular, e o seu carpete poderá manter-se com ares de novo.


Dificuldade
Fácil

Instruções



O que você precisará


  • Tapetes
  • Aspirador de pó
  • Vinagre branco
  • Bircabonato de sódio
  • Água
  • Pano limpo
  1. 1
    Como manter um carpete novoCarpete novo, regras novas para entrar em casa. Os sapatos, se sujos, devem ser retirados na porta da entrada, ou antes que entrem em contato com o carpete. Caso houver resistência, um tapete bem grosso, com material rígido, colocado à entrada, poderá diminuir a sujeira que passa para dentro de casa.
  2. 2
    Localize qual é o perímetro de maior trânsito sobre o carpete, e nesta área, poderá colocar tapetes soltos, ordenados de maneira estratégica afim de que não ocorra o desgaste. Se vai receber visitas em casa, basta retirá-los.
  3. 3
    Uma medida essencial é promover a limpeza de qualquer mancha de sujeira que ocorra, de imediato, ou assim que possível. Manchas mais difíceis de retirar podem ser limpas com uma solução caseira. Misture 1 colher de sopa de vinagre branco e 2 colheres de chá de bicarbonato de sódio num copo de água. Aplique sobre a superfície com uma esponja macia, e retire o líquido com um pano limpo. A quantidade de ingredientes deve variar de acordo com o tamanho da mancha. O caminhar sobre uma mancha de sujeira pode ter um efeito abrasivo no tecido, fazendo com que haja uma degradação gradual, com efeitos irreversíveis a longo prazo.
  4. 4
    Considerando o acúmulo de pó, ou a necessidade de limpeza, passe o aspirador com frequência regular. Esse passo, em especial, ajuda a manter o aspecto de novo.
  5. 5
    Como manter um carpete novoIdentifique, e providencie limpeza profissional sempre que necessário. Considere que a limpeza especializada pode custar apenas 1 fração do custo total de um tapete novo. Considere, ainda, comprar um aspirador à vácuo. Com este modelo, poderá fazer uma limpeza mais profunda a cada mês, garantindo a durabilidade do carpete, e dispensando o trabalho de profissionais. Atenção apenas com o tipo de fibra, para que faça a aquisição de um aparelho que não danifique o material.