Saiba quais os cuidados para manter a   casa sem mofo, fungos e bactérias Revestimentos com superfície lisa s...

Casa sem mofo, fungos e bactérias

 

Saiba quais os cuidados para manter a




 

casa sem mofo, fungos e bactérias



Revestimentos com superfície lisa são as melhores opções contra bactérias.
Escolha da tinta também pode influenciar na criação do ambiente saudável.

Do G1, em São Paulo

Na hora de construir ou reformar a casa, não basta pensar apenas na estética, mas também na saúde. Além disso, é importante manter o ambiente bem higienizado e ter certos cuidados, principalmente em relação ao mofo, que pode causar ou até mesmo agravar problemas respiratórios, como explicou a pediatra Ana Escobar no Bem Estar desta sexta-feira (29).
Uma das dicas na hora de escolher o material para a casa é em relação às tintas, que devem ser antimofo ou antibacteriana, que têm substâncias para evitar o crescimento de fungos, algas e bactérias. Além disso, é importante observar também os revestimentos, que devem ter a superfície lisa. Isso porque os mais porosos podem acumular microorganismos por causa das pequenas rachaduras, o que pode oferecer risco à família. Fora isso, são também mais fáceis de limpar, como mostrou o arquiteto Gustavo Calazans.


Bem Estar - Infográfico dá dicas para ter uma casa saudável (Foto: Arte/G1)
Na cozinha, isso é ainda mais preocupante porque é na bancada da pia que pode ocorrer a contaminação cruzada, que pode causar uma infecção gastrointestinal. Nesse caso, é fundamental optar por revestimentos sem poros, onde o alimento e a sujeira não consigam se acumular.
Os pisos também merecem atenção porque, dependendo do material, podem piorar o quadro de pessoas que têm alergia ou doenças respiratórias.
Por exemplo, o carpete é o pior revestimento porque pode concentrar ácaros e isso é um risco para a saúde. A dica é procurar sempre por opções fáceis de limpar e que não acumulem muita sujeira.
Porém, se a pessoa quiser de qualquer jeito usar um carpete em casa, a dica do arquiteto Gustavo Calazans é colocar um piso frio e um tapete removível, que é uma escolha mais higiênica e saudável já que o tapete pode ser lavado.
Em relação aos tapetes, de maneira geral, é recomendado optar sempre pelos laváveis, como os de nylon e polipropileno, um tipo de plástico.
Os especialistas falaram também sobre o banheiro que, se estiverem mal ventilados, podem ser um problema já que acumulam umidade e podem favorecer a proliferação de bactérias e fungos causadoras do mofo.
Por isso, é essencial que o chuveiro esteja perto de uma janela e que ela fique aberta durante e depois do banho.
As janelas, inclusive, são extremamente importantes na casa porque são as responsáveis pela iluminação e ventilação do ambiente.
A dica é procurar sempre as maiores e colocá-las em paredes opostas para que a corrente de ar atravesse os cômodos, causando a chamada “ventilação cruzada”, como explicou o arquiteto Gustavo Calazans.
Os especialistas alertaram também para um hábito muito comum, mas que pode prejudicar principalmente a qualidade do sono: usar a colcha que cobre a cama para dormir. Segundo a pediatra Ana Escobar, por ficar todo o dia lá, a colcha acaba sendo uma barreira para a sujeira que vem pelo ar e, por isso, usá-la para dormir pode causar espirros durante a noite. A dica é trocar o cobertor e usar um diferente na hora de deitar.
Em relação à limpeza, existem dois alertas importantes - o primeiro é não confiar no aspirador ou na vassoura, especialmente se a família tiver bebês que engatinham, pessoas alérgicas ou com problemas respiratórios. Isso porque, ao usar esses dois utensílios, a sujeira pode subir e fazer mal para a saúde. Nesse caso, o pano úmido é a melhor opção.
O outro alerta vai para a limpeza da cerâmica - ao lavá-la, o rejunte encharca e leva muito tempo para secar, ou seja, antes que seque, a pessoa já lavou de novo. Porém, isso é um problema porque quanto mais úmido e molhado, maior é a tendência do revestimento desenvolver uma espécie de mofo, que deixa mancha. Por isso, mais uma vez, a melhor opção é usar um pano úmido ou até mesmo um produto específico.
Tintas
A repórter Marina Araújo mostrou como são feitas as tintas antimofo e antibacteriana e contou a história de uma família que utilizou esses produtos para proteger o quarto do bebê (veja no vídeo ao lado). Testes de laboratório comprovam a eficiência dessas tintas, que são as mais recomendadas para a casa.
A tinta antimofo, por exemplo, evita o crescimento de fungos e algas que podem manchar as paredes e é mais barata e duradoura, além de ter a vantagem de poder ser usada em paredes externas. Já a tinta antibacteriana pode reduzir até 99% dos microorganismos (além dos fungos e algas, também as bactérias), mas dura menos e é mais indicada para uso em paredes internas
.