Estrela do quadro Lar Doce Lar, do Caldeirão do Huck, fala sobre nosso jeito de viver Foto: Diorgenes Pandin / Divulgação ...

Marcelo Rosenbaum: "O brasileiro não mora bem"

 

Estrela do quadro Lar Doce Lar, do Caldeirão do Huck, fala sobre nosso jeito de viver


Marcelo Rosenbaum: "O brasileiro não mora bem" Diorgenes Pandin/Divulgação
Foto: Diorgenes Pandin / Divulgação








A brasilidade se sobressai nas peças criadas por Marcelo Rosenbaum, há 20 anos no comando de escritório próprio e estrela da 7ª temporada do quadro Lar Doce Lar, do programa Caldeirão do Huck o que faz dele o arquiteto mais popular do Brasil. De passagem por Joinville, Rosenbaum conversou com Donna.
Donna - Qual é o seu conceito de morar bem?
Marcelo Rosenbaum - É tão simples e, ao mesmo tempo, complexo. O brasileiro não mora bem, morar bem é ter um teto, ter uma casa sem bolor, com ventilação e ter cama para todo mundo. Eu não falo nem da privacidade, da individualidade, porque porta numa casa, no Brasil, é um item de luxo. Os projetos feitos pelo governo, como o Minha Casa, Minha Vida, isso ainda não é morar bem, as pessoas têm proteção, o status da alvenaria, do telhado, mas, em alguns lugares, elas não conseguem morar nas casas que constroem porque são tão quentes que acabam fazendo uma cabaninha do lado, para refrescar-se.
Donna - Como você descobriu o design?
Rosenbaum - O design sempre fez parte da minha vida. Meu pai é judeu, filho de um alemão e uma russa, e minha mãe é católica, com pai português e mãe italiana, ou seja: isso é design da construção de uma nação, de uma mistura que dá certo.
Donna - Como é desenvolver projetos novos depois de anos à frente do quadro Lar Doce Lar?
Rosenbaum - Estamos na sétima temporada e costumo dizer que esse quadro é uma bênção. Sempre foi meu sonho trabalhar com a classe popular, com o desejo da classe popular. Não adianta vir com referência de uma estética burguesa, europeia, se você vai hoje a uma loja de móveis populares e só vê brilhos e gomos. Meu desafio é entender esse comportamento desta classe, entrando na casa dela através do Lar Doce Lar, mexendo na vida das pessoas. É muita responsabilidade.
Donna - Qual é a importância do programa para você?
Rosenbaum - É gigante. Hoje sou uma pessoa popular, sou reconhecido em qualquer esquina do Brasil. Isso para o meu trabalho é muito importante, mas eu tento usar como um compromisso. Todos temos obrigações enquanto designers, enquanto profissionais. O design transcende um objeto, o design não precisa ser só um copo, o design são as relações também: é você desenhar uma nova vida por meio do belo, levar beleza e bem-estar para o universo das pessoas.



dA REPORTAGEM ACIMA, O QUE DESTACO DE MAIOR IMPORTÂNCIA, É A QUESTÃO DO CONFORTO TÉRMICO E DA VENTILAÇÃO DO IMÓVEL.

pOR MAIS SIMPLES QUE SEJA UMA CASA, MESMO QUE CONSTRUÍDA COM MATERIAIS BARATOS, DETALHES ARQUITETÔNICOS PODEM FAZER UMA DIFERENÇA ENORME.
O conforto térmico faz com que se necessite menos de climatizadores levando à uma economia de energia.

uMA CASA VAI TER PELO MENOS 2 JANELAS. nUNCA POSICIONE AS JANELAS NA MESMA PAREDE, TENTE COLOCÁ-LAS O MAIS DISTANTE POSSÍVEL, DE FORMA QUE O AR QUE ENTRA POR UMA, PERCORRA O MÁXIMO DA CASA ATÉ SAIR PELA OUTRA.
o AR QUENTE É MAIS LEVE QUE O AR FRIO, ENTÃO ELE SOBE. cOLOQUE A JANELA O MAIS ALTO QUE PUDER PARA QUE O AR QUENTE SAIA. o AR QUENTE GERALMENTE É ÚMIDO, POR ISSO AS MANCHAS DE BOLOR SE FORMAM NO TETO E PARTE SUPERIOR DAS PAREDES.

JANELAS COM VENTAROLAS NA PARTE SUPERIOR, AJUDAM MUITO NA VENTILAÇÃO.

PARA QUEM MORA EM REGIÕES QUENTES:
GRANDES BEIRAIS OU VARANDAS AO REDOR DA CASA.
JANELAS PROTEGIDAS POR BEIRAIS, ALÉM DE IMPEDIREM A ENTRADA DO SOL, PODEM PERMANECEREM ABERTAS MESMO COM TEMPO CHUVOSO.
UMA CHAMINÉ, ISSO MESMO CHAMINÉ, EM UMA PEÇA GRANDE, FARÁ COM QUE O AR QUENTE SAIA, REFRESCANDO O AMBIENTE.

PARA QUEM MORA EM REGIÕES FRIAS:
JANELAS POSICIONADAS DE FORMA A RECEBEREM O MÁXIMO DE SOL,
BEIRAIS CURTOS, DISTÂNCIA DE ÁRVORES E TODA E QUALQUER BARREIRA À LUZ DO SOL.