O ideal é que a residência seja fresca no verão, quente no inverno, ventilada e iluminada naturalmente. Isso vale tanto por uma ques...

Conforto térmico

 


O ideal é que a residência seja fresca no verão, quente no inverno, ventilada e iluminada naturalmente. Isso vale tanto por uma questão de economia quanto de sustentabilidade.

Para um conforto térmico natural, ou seja, sem uso de ar-condicionado ou calefação, é preciso que o projeto arquitetônico seja bem elaborado levando em conta diversas questões.

Se tu já possui uma residência e não está satisfeito com o conforto térmico, ainda assim é possível melhorá-lo com algumas reformas, o que será matéria de uma outra postagem.


Alguns exemplos de influência térmica dos elementos da arquiteturadestacam os seguintes fatores:

·      As características dos materiais das fachadas externas (expostas às condições
climáticas);
·      A cor utilizada nas fachadas externas;
·      A orientação solar;
·      A forma e a altura da edificação;
·      A orientação e o tamanho das vedações transparentes;
·      As características do entorno da edificação;
·      A orientação em relação a ventilação;
·      O desempenho das aberturas, quanto às possibilidades de iluminação natural, bem
como suas devidas proteções à insolação inadequada;
·      A localização estratégica dos condicionadores de ar artificiais.

Cada região tem estratégias específicas para as soluções arquitetônicas a serem adotadas nas edificações.


Conforto Térmico

Questões relevantes para o bom desempenho da construção.

Aspecto pouco considerado em nossas edificações, o condicionamento térmico é um dos itens de grande importância na qualidade delas. Todos conhecemos as queixas relacionadas a ambientes quentes no verão e frios no inverno. Através do estudo da insolação pode-se definir a orientação ótima da construção e seus ambientes, controlando a incidência dos raios solares através de beirais, varandas, brise-soleil ou quebra-sol, toldos, etc.
Para um bom desempenho térmico da edificação, porém, outros fatores devem, igualmente, ser levados em conta. A direção dos ventos dominantes, por exemplo, tem influência na ventilação interna que por sua vez é influenciada pela posição e tipo das janelas.
O isolamento térmico da construção é também um importante fator a ser considerado. Uma vez que o calor é transmitido através das paredes e telhados, o fenômeno pode ser controlado através de tal isolamento. Finalmente, deve-se mencionar que o tipo, cor e textura dos acabamentos externos também têm influência na absorção, irradiação e transmissão de calor.

Insolação

O Sol e os Edifícios.

A localização, a orientação e a forma de uma construção devem ser definidas de maneira a tirar o máximo proveito da radiação solar desde um ponto de vista higiênico, psicológico e de acondicionamento térmico. O excesso ou a falta da radiação do sol é prejudicial à saúde e ao edifício e dependem fundamentalmente da posição de tal edificação relativamente à trajetória solar e das características climáticas da região onde ela está situada.
A forma e a orientação do edifício devem então ser definidas de maneira a propiciar o equilíbrio entre os períodos de baixas temperaturas - inverno - quando se faz necessário o máximo de radiação solar, e os períodos de altas temperaturas - verão - quando tal radiação deve ser evitada. No Brasil, de maneira geral, a orientação Norte é a mais recomendada pois no verão a altura do sol nessa orientação possibilita, com a utilização de recursos arquitetônicos adequados, o sombreamento da fachada, e, no inverno, por ter o sol uma trajetória mais baixa, permite que os raios solares atinjam em maior profundidade, os ambientes internos.

Janelas

Tipos e desempenho.

A janela ou caixilho é, numa edificação, o elemento de separação mais tênue, entre interior e exterior.
Tem uma importância fundamental na qualidade física e psicológica do ambiente edificado, pois, não só deve possibilitar as adequadas iluminação e ventilação naturais e a atenuação dos ruídos externos, como garantir também a visão aprazível do espaço exterior.
Dessa forma, o projeto de uma janela deve ser extremamente cuidadoso para atender o melhor possível, tais requisitos.
Os Códigos de Obras das municipalidades fixam as diretrizes a serem observadas com relação ao assunto, em particular, às proporções entre as áreas da janela e do ambiente correspondente.
É oportuno todavia, lembrar que existem vários tipos de janelas e que ademais das considerações acima, outras se fazem de extrema importância, e devem ser observadas pelos fabricantes de esquadrias, tais como: estanqueidade, isolação térmica e acústica, segurança, etc.

FONTE: http://www.edifique.arq.br/


Bem-estar térmico para inverno e verão estimula o lazer em qualquer clima

Construções regionais dos Alpes suíços e italianos inspiraram projeto de morada em Canela, na Serra Gaúcha


Bem-estar térmico para inverno e verão estimula o lazer em qualquer clima Joana Thomazoni,Splash Studio,Divulgação/Casa&Cia
Panos de vidro e janelões duplos garantem claridade interna nos ambientes até mesmo nos dias nubladosFoto: Joana Thomazoni,Splash Studio,Divulgação / Casa&Cia
Ana Carolina Bolsson
Em uma casa confortável, o desejo de permanecer no seu interior deve ser instantâneo. Partindo dessa ideia de bem-estar, o engenheiro Libório Schlieper desenvolveu o projeto arquitetônico e a arquiteta Zaira Hoffmann Schlieper o de interiores desta residência de 264,29 metros quadrados de área, aninhada na mata nativa de um condomínio em Canela, com destaque para o conforto térmico.
Atuou no paisagismo Toni Backes, com o cuidado de preservar as araucárias nativas em seu projeto de criar um jardim de plantas esculturais. O desnível do terreno em relação à rua se manteve e facilitou a entrada lateral para carros sem interferir na fachada e na vista, um pedido dos donos.
Soluções funcionais com estilo.
Joana Thomazoni , Splash Studio , Divulgação
Serviram de inspiração para definir o estilo arquitetônico as construções regionais de madeira aparente, telhado com caimento e beirais avançados dos Alpes suíços e italianos. Na estrutura resultante dessa vertente aplicada na Serra, as paredes externas são duplas e revestidas de chapas de poliestireno expandido entre o forro e as telhas. Os vidros duplos e as telas anti-insetos nas esquadrias de PVC permitem que o jovem casal de proprietários desfrute da residência de lazer todo o ano. Além da calefação com caldeira à óleo, recursos como janelões e panos de vidro com orientação solar nascente permitem o aquecimento natural na maior parte do dia.
A fachada recebeu acabamento de reboco com aparência grosseira pintado de branco, que contrasta com a madeira aparente dos beirais, do deque e do segundo piso. Na chaminé da lareira, revestimento com pedra da colônia do tipo taipa, e, no telhado, sistema de telhas do tipo shingle aplicado sobre placas de compensado multilaminado naval completam o estilo serrano proposto. O toque de cor está no vermelho cereja dos espelhos do telhado.
Internamente, o coração da casa é um amplo ambiente social de 72 metros quadrados onde convivem simultaneamente sala de jantar, estar, cozinha/gourmeteria e churrasqueira.
– Criamos ambientes integrados para a confraternização com familiares e amigos, mas que permitam momentos de privacidade – finaliza Zaira.

Área íntima
O porcelanato foi a escolha para revestir o piso dos três banheiros das suítes da área íntima em função da durabilidade e praticidade na manutenção. Para um visual clean e suave, utilizou-se recurso de rebaixo de gesso com iluminação embutida sobre a pia e revestimentos de parede em tons como creme e fendi. Calefação com radiadores de parede e encanamento pelo chão que aquecem o piso garantem o conforto nos dias mais frios.

Joana Thomazoni , Splash Studio , Divulgação
Fonte: ZERO HORA