Casa fresquinha no verão, quem não quer? Fuja do calorão: saiba como ter uma casa sempre  fresquinha nos dias quentes Ve...

Casa fresquinha no verão!

 
Casa fresquinha no verão, quem não quer?


Foto: Getty Images





Fuja do calorão: saiba como ter uma casa sempre 

fresquinha nos dias quentes

Veja os acabamentos mais indicados para manter um 

conforto térmico e confira dicas para refrescar a casa

Passar muito calor pode ser desesperador. O “bafo” dos dias de calorão parece infiltrar em nossas entranhas, trazendo a sensação de um completo desânimo. Como não há o que fazer em relação à temperatura do lado de fora, para termos uma casa um pouco mais fresca, algumas medidas podem ser tomadas na hora da construção. As arquitetas Denise Nascimento e Luciana Born, do escritório LeD Arquitetura, orientam sobre os acabamentos mais adequados para um melhor conforto térmico. 

Tadeu Vilani

Segundo explica Denise, a cobertura é o local que recebe a maior quantidade de radiação solar. Sendo assim, o melhor é optar por telhas cerâmicas em vez daquelas de fibroaquecimento ou de alumínio. “Além disso, o uso de isolantes térmicos ajuda a manter a casa fresca no verão e quente no inverno”, garante a arquiteta. Para isso, utilize uma manta térmica entre o forro e a laje. Outra opção é usar um isopor na própria composição da laje. “Parte-se do pressuposto que, quanto mais espessa a parede, mais tempo o calor leva para entrar”, diz.
Investir nos chamados tetos verdes também pode ser uma boa alternativa. “Além de serem ótimos isolantes térmicos e acústicos, contribuem na absorção das águas e tornam as cidades menos áridas”, aponta Denise. A arquiteta explica que existem variados tipos. Basicamente, eles consistem em módulos com grelha, isolante, substrato e vegetação (que pode ser grama ou outra variedade). E podem ser utilizados sob lajes planas, telhados cerâmicos ou de fibrocimento.
A escolha do piso também é importante para ter uma temperatura agradável nos ambientes. Para Denise, a preferência é por pisos frios em vez de carpetes.
De olho no solAnalisar qual a melhor posição da construção no terreno é fundamental, conforme garante Denise. “Deve-se fazer um estudo do posicionamento correto da casa, da melhor posição das janelas e dos ventos da região”, afirma a profissional. É preciso pensar, por exemplo, em uma ventilação cruzada, que aumente o fluxo dos ventos pelos ambientes.
Além disso, para conter o sol rasante que mais esquenta a casa – o da orientação oeste – é possível utilizar elementos como brise-soleil ou quebra-sol. Se possível, opte também por construir os quartos voltados para o leste, para que peguem somente o sol da manhã. Você também pode construí-los para a fachada norte, para que peguem sol durante o dia inteiro, mas de forma muito mais amena.
DicasCaso a sua casa já esteja construída, você pode seguir algumas orientações da arquitetas para aliviar o calor:
- Opte por lâmpadas de LED ou fluorescentes no lugar das incandescentes; 
- Utilize tecidos claros para cortinas, estofados e tapetes, pois tons escuros absorvem mais calor;
- Nas paredes externas, use cores claras, pois elas refletem a luz solar. Internamente, os tons claros também ajudam a proporcionar uma sensação de “casa fresca”;
- Usar espelhos também é um bom recurso para “aumentar” a luminosidade dos ambientes e, assim, reduzir a utilização de luzes artificiais;
- O cultivo de plantas em casa também pode aliviar a temperatura, já que elas retêm umidade. “A vegetação pode ser usada, ainda, para sombrear aberturas, sem perder a luminosidade”, sugere Denise;
- Fontes e espelhos d’água são outros itens coringas, já que a evaporação da água aumenta a umidade e, consequentemente, contribui para o conforto térmico.
FONTE: revista.penseimoveis.com.br

Projeto Casa Fresca… [Parte I]
Verão, férias, praia, sol, mar e… CALOR! Foi o assunto do dia… Tivemos temperatura recordes nas capitais (Floripa 36°, Porto Alegre 36°, São Paulo 33°, Rio de Janeiro 38°), onde o calor é agravado pela concentração urbana, poluição, etc. Aqui no escritório mesmo… estava difícil se concentrar nos projetos. Como fazer então? A primeira solução que vem a cabeça é ligar o ar condicionado. Mas será que não existe uma forma mais sustentável de resolver o problema?
EXISTE. E adivinha de onde vem: da arquitetura! É o que chamamos deArquitetura Bioclimática.
“A Arquitetura Bioclimática é o estudo que busca a harmonização das construções ao clima e características locais. Manipula o desenho e elementos arquitetônicos afim de otimizar as relações entre homem e natureza, tanto no que diz respeito à redução de impactos ambientais quanto à melhoria das condições de vida humana, conforto e racionalização do consumo energético.” (Adonis Arantes de Souza)
No que diz respeito ao controle de entrada de calor no espaço construído, podemos vir a condicionar naturalmente as edificações prestando atenção em 3 fatores básicos: radiação solar, uso da ventilação natural, uso da vegetação.
Radiação Solar
A radiação solar é a responsável pelo ganho térmico das construções. Este ganho será maior ou menor dependendo das características térmicas dos seus materiais. Ao construir uma edificação, além de posicionar os ambientes conforme a orientação solar e aberturas conforme os ventos predominantes, é importante escolher acabamentos adequados. O telhado é o principal plano de recebimento da radiação. Amortecer as variações de temperatura exterior é possível se as coberturas forem protegidas com forros, telhas claras, isolantes térmicos e materiais de grande inércia térmica. As paredes, quando pintadas com cores claras, sombreadas por meio de vegetação ou dispositivos de proteção solar (brises, pergolas, etc.), revestidas com materiais isolantes ou construídas com blocos de grande capacidade calorífica também contribuem para manter as temperaturas internas à construção bastante agradáveis.
Ventilação Natural
        
A ventilação natural, segundo Frota e Schiffer¹ consiste no “deslocamento do ar através do edifício, suas aberturas, umas funcionando como entradas e outras como saída.” Ou seja, é necessário que a dimensão e posição das aberturas sejam definidas de modo a proporcionar um fluxo de ar adequado ao ambiente em questão. O fluxo de ar entra ou sai da edificação conforme a diferença de pressão do ar entre os ambientes internos e externos, a resistência ao fluxo de ar oferecida pelas aberturas e pelas obstruções internas, além de implicações relacionadas à incidência do vento e forma da edificação. A ventilação natural pode ser feita por meio da ação dos ventos ou do chamado efeito chaminé. A ventilação por ação dos ventos promove a movimentação do ar através do ambiente. Já por efeito chaminé ocorre pelo efeito da diferença de densidade.
Vegetação
Como já citado anteriormente, a vegetação pode ser usada para complementar o sombreamento de uma abertura (janela), porém sem obstruir a sua luminosidade. A utilização de espécies caducas (que perdem suas folhas durante o outono e inverno) é a mais recomendada, para que na situação oposta a construção possa receber uma insolação desejável.
Aplicando-se estes 3 princípios é perfeitamente viável se construir um edifício com controle térmico eficiente.
Na nossa próxima postagem, vamos conhecer isso na prática através da a arquitetura bioclimática do Arq. João Filgueiras Lima “Lelé”. Lelé é um dos nossos maiores arquitetos, responsável, entre outras obras relevantes, pela arquitetura da Rede de Hospitais Sarah Kubitshek, referência em reabilitação de vítimas de politraumatismos e problemas locomotores.


Sua casa mais fresca no verão com 11 dicas práticas


Se já está preocupado com as altas temperaturas que estão por vir, saiba que alguns truques simples de decoração podem dar uma ajudinha e até diminuir os gastos com ventilador e ar condicionado.

Confira 11 sugestões listadas pelo arquiteto Sergio Astrauskiene e leve mais frescor aos ambientes:

1) Substitua tapetes peludos e de cores escuras ou fortes por peças de fios curtos e tons pastel;

2) Itens de vidro refrescam. Vale investir em espelhos, vasos, quadros de foto com vidro protetor;

3) Excesso de objetos torna os espaços mais abafados. Portanto, retire bibelôs, abajures, artigos de madeira;

4) Se for possível, elimine cores escuras das paredes. Dê preferência a tonalidades claras e pastel. Use tinta, papel de parede ou adesivos;

5) Sofás de tecidos pesados, como veludo e camurça, e de cores fortes não combinam com o verão. Que tal cobri-los com capas de panos leves? Entre as opções estão algodão e linho;

6) As mantas de sofá devem ser deixadas de lado nos meses mais quentes;

7) É interessante colocar capas nas almofadas muito escuras. Componha o visual com tecidos leves (linho, algodão, seda) de cores claras;

8) Acha que a cortina está deixando o ambiente "pesado"? Como tirar o forro pode atrapalhar para assistir TV, mude o seu xale. Deixe-o em um tom mais suave;

9) As lâmpadas de LED não aquecem o ambiente como as tradicionais e ainda são mais econômicas;

10) Lance mão de plantas, mas tenha cuidado. É que folhagens muito grandes e volumosas podem carregar locais pequenos e conferir sensação de calor;

11) Quem gosta de fontes tem um motivo a mais para colocá-las na casa. É que a umidade delas colabora com os moradores no verão. A mesma regra se aplica a aquários e outros artigos de decoração com água.

Fonte: Expresso MT